Buscar
  • Bruno Lima Wanderley

Usar o Canal Certo em Wi-Fi Faz toda a Diferença


Aí você assina aquele novo pacote de internet "Super Ultra Combo" de 71827983 "Mega" e vai, muito feliz, assistir aquele streaming de vídeo em 2K no Netflix. "Pai, ta ruim a qualidade", diz o filho inconformado. Mesmo depois de ter implorado (e conseguido) para o bondoso pai pelo novo pacote, ele continua a ter problemas. Resta ao pai ligar para a sua operadora, dizendo que a internet está lenta e que a empresa está roubando ele. Às vezes pode até ser, muitas vezes não.

Muito provavelmente, seu filho/sobrinho está usando um smartphone ou tablet, conectado via Wi-Fi. Como eu comentei no meu post anterior, até uma pequena variação na posição da sua antena pode modificar sensivelmente a qualidade do sinal, assim como sua velocidade.

Um outro aspecto que também pode prejudicar significativamente a qualidade da sua conexão é o canal que está sendo usado para conectar os dispositivos.

De maneira rápida, podemos usar em Wi-Fi duas faixas de frequência: 2.4 GHz e 5 GHz. A mais usada, por enquanto, é a faixa de 2.4. É a faixa que os padrões Wi-Fi IEEE 802.11g e 802.11n usam, por exemplo.

Mas, meus amigos, essa faixa é chamada de ISM (Industrial, Scientific and Medical), ou seja, é uma faixa que pode ser usada com qualquer pessoa sem muita burocracia. É aí que entram os fornos microondas, telefones sem fio, babysitter eletrônica (vide abaixo), dentre outros. Eles geram também sinais de microondas, que afetam o seu sinal Wi-Fi.

Obviamente, existe também um outro vilão. Que são os roteadores dos seus vizinhos. Afinal, todo mundo hoje em dia tem um roteador Wi-Fi em suas residências. Agora imagine, se você mora em um bairro residencial com centenas de prédios, quantos roteadores temos em um raio de 100 metros de você? Centenas? É desse vilão que vou explicar melhor para vocês.

Na faixe de frequência de 2.4 GHz usamos, no Brasil, 11 canais para transmissão de dados. O seu roteador vai escolher (ou você, por que não?) um ou dois desses canais para transmitir o dados para os aparelhos da sua casa. Em alguns países podemos usar até o canal 14. Cada canal tem uma "largura" aproximada de 22 MHz. Vide abaixo os canais.

Diferentemente do rádio FM da sua casa, onde cada estação está em uma faixa de frequência dedicada (até porque Jovem Pam e Mix FM ao mesmo tempo não deve ser uma experiência muito legal). Repare na figura acima que os canais Wi-Fi se sobrepõem, um rouba espaço do outro. O canal 1 (rosa) passa por cima dos canais 2, 3, 4 e 5, por exemplo. Isso ocorre até mesmo por uma questão de aproveitamento de espaço, pois microondas conseguem lidar relativamente bem com um canal pegando o espaço do outro, a famosa interferência. Ou seja, é como se o seu roteador Wi-Fi conseguisse filtrar a Jovem Pan da Mix FM sem grandes problemas mesmo os dois ocupando o mesmo espaço.

Falando um pouco mais bonito, chamamos essa sobreposição de canais de interferência de canal adjacente (veja figura abaixo). Agora, pense um pouco, se eu tenho que usar a faixa de 2.4 GHz ( de acordo com a figura: 2.484 - 2.412 = 72 MHz) para alocar 11 ou mais canais (cada canal com 22 MHz x 11 canais = 242 MHz), veja que não há espaço para todos, nos restando espremer todo mundo como na figura acima.

Muito embora o roteador consiga "dar conta do recado" mesmo com tal problema, o melhor é tentar evitar esse tipo de interferência quando possível. Repare que apenas 3 dos 11 canais não interferem um no outro (figura abaixo), é aí que começa o "pulo do gato". Devemos sempre preferir um desses três canais: 1, 6 e 11.

"Ah, Bruno, mas todo mundo usa esses três canais! Como eu manjo um pouco mais de informatica eu uso um aplicativo que me mostra quais os canais que estão mais congestionados. Assim, eu costumo escolher os canais 3 ou 8, por exemplo."

- Meu amigo, sua atitude é compreensível, mas errada.

Por uma questão que extrapola o conteúdo deste artigo, as técnicas de formatação do sinal - chamadas de técnicas de modulação - conseguem lidar melhor com interferência de mesmo canal (interferência co-canal, veja abaixo). Que nada mais é do que a interferência provenientes de outros dispositivos (smartphones, tablets e outros roteadores) mas no mesmo canal em que o seu roteador está transmitindo.

Se você colocar seu roteador em um dos três canais que eu mencionei acima (1, 6 e 11), a chance dele funcionar adequadamente é maior do que você tentar colocar nos demais canais. Basta que você mantenha o sinal mais forte do que o sinal que está concorrendo com ele (mais ou menos como na figura abaixo):

Para o sinal em azul ter uma qualidade aceitável, ele precisa estar uns 20 pontos (20 dBm, para os mais entendidos) acima do sinal concorrente. Feito isso, tudo dará certo.

Vou tentar explicar de outra forma as duas interferências que eu citei até agora.

Imagine que você está em um concerto e há vários grupos de amigos assistindo-o (mais ou menos como na figura abaixo). Cada grupo de amigos vai ter um assunto diferente (canal diferente) para tratar, pois estão em vibes diferentes. Como tem o barulho do concerto, os membros de cada grupo falam cada vez mais alto para se entenderem. Mesmo assim, cada grupo (canal) está ouvindo várias conversações diferentes das mesas do lado ( que são os canais diferentes) ao mesmo tempo, fora a música. Então, os grupos falam cada vez mais alto para se comunicarem e um acaba atrapalhando ainda mais o outro. Ou seja, é uma barulheira que você não sabe quem fala o quê. Essa é a interferência de canais adjacentes.

Já a interferência de canal comum (co-canal) se assemelha a uma sala de aula. Sempre tem um aluno que fala um pouco mais devagar na hora de fazer uma pergunta para o professor. Todos esperam ele acabar de falar para poder se dirigir ao professor, ou até mesmo um ao outro (isso em uma sala civilizada, talvez em Nárnia). Então, nesse tipo de interferência, o desempenho da rede cai devido ao tempo de espera até que o outro dispositivo acabe de transmitir, pois todo mundo está na mesma vibe (mesmo canal). Com essa abordagem, é possível ter organização e fazer um melhor gerenciamento dos dados a serem transmitidos, afinal, é certo que cada aluno (smartphone) terá a sua chance de transmitir.

Agora, amigos, sempre prefiram os canais 1, 6 ou 11. É só tomar cuidado em manter a potência um pouco mais alta do que as dos seus vizinhos.

"Como eu vejo isso, Bruno??"

Explico semana que vem.

Dá uma olhadinha do meu curso de Wi-Fi e aprenda mais!

Fontes: http://www.metageek.com/training/resources/why-channels-1-6-11.html

http://www.metageek.com/training/resources/adjacent-channel-congestion.html


2,985 visualizações
Tags

Curso Redes de Computadores, Redes Wireless, Redes Wi-Fi, curso redes wireless, curso de redes.