Buscar
  • Bruno Lima Wanderley

Como Funciona o Wi-Fi em Aviões? - Parte 1


Viajar de avião tem sido por muitos anos uma zona de paz e tranquilidade no que diz respeito ao uso dos telefones celulares e afins. Nós temos que desligar os telefones ou deixá-los em modo avião por medida de segurança. Muito embora alguns deselegantes e "especialistas em segurança de vôo" não o façam.

Atualmente, a conectividade constante é muito mais importante na vida das pessoas. Os passageiros não tem mais somente aquele desejo de ficar olhando pela janelinha do avião ou apreciar a refeição (?) que a empresa aérea serve. Eles também esperam poder tuitar ou fazer um post no Facebook.

Muitas empresas aéreas no Brasil e no mundo estão respondendo com serviços de internet in-flight. Nos Estados Unidos, por exemplo, 40% dos vôos domésticos oferecem essa opção. Em vôos de longas distâncias, empresas como Lufthansa, Emirates e Qatar Airways já também oferecem o serviço.

- Legal, Bruno. Mas a internet já está nas nossas vidas há muito tempo! Demoraram muito para nos manterem conectados nas nuvens! Por que essa demora?

- Duas respostas, meu amigo:

1- Tem muita gente mal educada que não respeita o espaço do outro em terra, quanto mais no ar. Imagine o quanto de gente falando no WhatsApp/Telegram/Skype e incomodando os outros? (zoei)

2- Limitações nos quesitos técnicos e custo elevado de implantação. Que é o que nos interessa.

As conexões in-flight são normalmente muito lentas e com pouca confiabilidade. Os custos também são altos, coisa de 20 ou 23 dólares por vôo - normalmente por dispositivo. Os passageiros até querem conectividade, mas penso que não estão dispostos a pagarem tanto por isso.

"Apenas 28% dos executivos estão satisfeitos com o serviço de internet in-flight oferecidos pelas empresas aéreas", diz o estudo 2012 FlightView entrevistando 600 executivos que viajam frequentemente nos Estados Unidos. No Brasil, como é algo ainda muito novo, não achei nenhum dado concreto para postar, mas penso que a porcentagem seria ainda mais baixa.

Digo mais, a situação ainda vai piorar muito antes de melhorar. Por que? Vamos falar de tecnologia agora..

O principal problema dentro do avião não é o Wi-Fi, pois, desde que bem dimensionado, atenderá a todos muito bem. Ex: num avião de porte médio (737 ou A320), três roteadores atenderiam perfeitamente. É só colocar cada um em um canal não sobreposto (1, 6 e 11) e posicioná-los adequadamente dentro do avião (frente, meio e fundo). É assim que funciona o serviço da LATAM, o LATAM Entertainment. Provavelmente, o sistema da Gol - o Gol No Ar - tem funcionamento semelhante.

O grande problema é com o sistema Wi-Fi é como se conectar ao solo - onde efetivamente a internet está. Temos duas principais formas do sinal chegar até o chão: via telefonia celular 3G/4G ou satélite.

Por exemplo, o provedor GoGo, um dos maiores dos Estados Unidos especializados em internet em aviões, tem uma rede de telefonia 3G no solo por todo o país (vide figura abaixo). Os aviões se comunicam com as antenas (ou Estações Radio Base - ERB) no momento que eles passam em cima dela. É um sistema simples, mas a taxa de transmissão é limitada a aproximadamente 3.1 Mbps para todos os usuários do vôo. Ou seja, WhatsApp, Facebook e só! YouTube? Nem sonhando!

Isto é apenas o começo, naturalmente. A empresa agora está com uma tecnologia chamada ATG-4 (Air to Ground), equipando as aeronaves com dois modens e quatro antenas direcionais (daí vem o "4"), sendo duas antenas laterais e duas em cada extremidade do avião (vide abaixo). Assim, ajuda a aumentar a taxa de transmissão para aproximadamente 9.8 Mbps, o que já quebra um galho. Mas, não vai ajudar se o avião estiver atravessando o oceano ou, no nosso caso, em grande parte do Brasil.

Abaixo mostro o modem dual, instalado dentro da cabine.

E as antenas, que direcionam para o sinal 3G/4G mais próximo da aeronave dinamicamente.

Uma abordagem alternativa para resolver o problema de cobertura é fazer a conexão com o solo via satélite. É uma solução mais efetiva para vôos intercontinentais, mas mais custosa. Conseguimos com essa abordagem velocidades na faixa dos 50 Mbps. Já dá pra brincar ...

Fontes: http://www.techradar.com/news/world-of-tech/future-tech/how-does-airplane-wi-fi-work-and-will-it-ever-get-any-better--1171510

http://concourse.gogoair.com/technology/gogo-atg-4-work

http://www.aircraftinteriorsinternational.com/news.php?NewsID=44502

https://en.wikipedia.org/wiki/Gogo_Inflight_Internet


3,075 visualizações
Tags

Curso Redes de Computadores, Redes Wireless, Redes Wi-Fi, curso redes wireless, curso de redes.